Umbanda e suas Luzes. 
Sites Grátis no Comunidades.net
Pontos de Umbanda
Pontos de Umbanda

   
Eu abro a nossa gira 
Com Deus e Nossa Senhora 
Eu abro a nossa gira 
Sambolê pemba de angola 
Eu abro a nossa gira 
Com Deus e Nossa Senhora 
Eu abro a nossa gira 
Sambolê pemba de angola 
Abriu, abriu, abriu 
Abriu deixa abrir 
Com as forças da Jurema 
Jurema Jurem
-------------------------------------------------------------------------------------
Vou abrir minha aruanda
vou abrir meu juremá
(bis)
Com a licença de mamãe oxum e nosso pai oxalá
(bis)
Santo Antonio é ouro fino arreia a bandeira e vamos trabalhar
---------------------------------------------------------------------------------------------------
 
meu pai oxala é o rei venha me vale
no velho omulu atoto baluae
Atoto Obaluaê
Atoto baba
Atoto Obaluaê
Atotô é Orixá
Se ver um velho no caminho
Oi pede a benção
Se ver um velho no caminho
Oi pede a benção
Benção de Deus
Benção de pai
Bençãode Deus
Atoto Obaluaê
Atoto baba
Atoto Obaluaê
Atotô é Orixá
--------------------------------------------------------------------------------------------------------
Meu Pai Oxalá
É o rei do mundo inteiro
Meu pai Oxalá é o dono do terreiro
quando quer falar com ele
ele não tar-da a chegar quem quizer falar com ele
fala em qualquer lugar
Meu Pai Oxalá
É o rei do mundo inteiro
Meu pai Oxalá é o dono do terreiro(2x)
----------------------------------------------
Cabloco Sete Flechas
 
  Curimbembê, Curimbembá,
Sete Flechas, um grande orixá.
Com sete dias de nascido
A Jurema o encontrou.
Deitado na folha seca
O caboclo ela criou.
Curimbembê, Curimbembá,
Sete Flechas um grande orixá.
Nasceu na mata de Oxóssi,
Na aldeia de Juremá.
O caboclo Sete Flechas,
Iluminado por Oxalá.
---------------------------------------------
Cabloco Pena Branca 
 
Quem mora na mata é Oxóssi,
Oxóssi é caçador,
Oxóssi é caçador.
Eu vi meu pai assobiar,
Eu mandei chamar.
Vem da Aruanda ê,
Vem da Aruanda a,
Pai Pena Branca,
Vem da Aruanda,
Vem na Umbanda.
Quem mora na mata é Oxóssi,
Oxóssi é caçador,
Oxóssi é caçador.
Eu vi meu pai assobiar,
Eu mandei chamar.
Vem da Aruanda ê,
Vem da Aruanda a,
Pai Pena Branca,
Vem da Aruanda,
Vem na Umbanda.
------------------------------------------------------------------------
Cabloco Venceu Demanda
 
Caboclo venceu demanda 
Para o povo de Umbanda 
Na ponta da sua flecha 
Quando veio de Aruanda 
Venceu... 
Caboclo venceu... 
No fundo da mata virgem 
Oxalá gritou 
- Esse filho é meu !!! 
Esse filho é meu !!!
-----------------------------------------------------------------------------------
Caboclo Eru
 
Caboclo Eru em sua mata escura 
Sentado num toco ele olha e ver a lua 
Estrela de Oxalá seu tronco iluminou 
Caboclo Eru é o nosso sonhador
                       

-------------------------------------------------------

Caboclo Tupinamba

Estava No Alto Da Serra
Quando Escutei Uma Coral Piar!
Mas Ela Estava Ferida
Espetada Numa Lança De Tupinambá

 

Iansã

Iansã tem um leque de penas 
Pra abanar em dia de calor 
Iansã tem um leque de penas 
Pra abanar em dia de calor 
Iansã mora nas pedreiras 
Eu quero ver meu pai Xangô 
Iansã mora nas pedreiras 
Eu quero ver meu pai Xangô

Iansã e Iemanjá

Eram duas ventarolas 
Duas ventarolas que sopravam sobre o mar 
Eram duas ventarolas 
Duas ventarolas que sopravam sobre o mar 
Uma era Iansã, Ieparrê 
A outra era Iemanjá, adoceáh 
Uma era Iansã, Ieparrê 
A outra era Iemanjá, adoceáh

Eram duas ventarolas 
Duas ventarolas que sopravam sobre o mar 
Eram duas ventarolas 
Duas ventarolas que sopravam sobre o mar 
Uma era Iansã, Ieparrê 
A outra era Iemanjá, adoceáh 
Uma era Iansã, Ieparrê 
A outra era Iemanjá, adoceáh

 

Iemanja - Eu vou levar

Eu vou levar
flores no mar
Pra Iemanjá
(2x)

Uma promessa eu fiz
Para Deusa do mar
Eu pedi, recebi
Prometi, vou levar
(2x)

Eu vouuuu...

Eu vou levar
flores no mar
Pra Iemanjá
(2x)

Uma promessa eu fiz
Para Deusa do mar
Eu pedi, recebi
Prometi, vou levar
(2x)

Mamãe Oxum

Eu vi a mamãe Oxum na cachoeira
Sentada na beira do rio
Colhendo lírios, lírios ê
Colhendo lírios, lírios Ah
Colhendo lírios pra enfeitar o seu congá
Colhendo lírios, lírios ê
Colhendo lírios, lírios Ah
Colhendo lírios pra enfeitar o seu congá

Ogum de Lei

Ogum de Lei 
Não me deixes sofrer tanto assim 
Meu pai 
Ogum de Lei 
Não me deixes sofrer tanto assim 
Meu pai 
Quando eu morrer 
Vou passar em Aruanda 
Saravá Ogum 
Saravá Seu Sete Ondas 
Quando eu morrer 
Vou passar em Aruanda 
Saravá Ogum 
Saravá Seu Sete Ondas

Ogum Vence demanda

Ogum venceu demanda 
Nos campos do Humaitá 
Ogum venceu demanda 
Nos campos do Humaitá 
Cruzou sua espada na areia 
Lavou seu escudo no mar 
Cruzou sua espada na areia 
Lavou seu escudo no mar

Ogum venceu demanda 
Nos campos do Humaitá 
Ogum venceu demanda 
Nos campos do Humaitá 
Cruzou sua espada na areia 
Lavou seu escudo no mar 
Cruzou sua espada na areia 
Lavou seu escudo no mar

Preto Velho Vovó nao quer!!

Vovó não quer 
Casca de coco no terreiro 
Vovó não quer 
Casca de coco no terreiro 
Pra não lembrar dos tempos do cativeiro 
Pra não lembrar dos tempos do cativeiro 
Carpiste Angola 
Eu to carpinando e tá crescendo 
Olha que 
Tô carpinando e tá crescendo 
Tô carpinando e tá crescendo

Vovó não quer 
Casca de coco no terreiro 
Vovó não quer 
Casca de coco no terreiro 
Pra não lembrar dos tempos do cativeiro 
Pra não lembrar dos tempos do cativeiro 
Carpiste Angola 
Eu to carpinando e tá crescendo 
Olha que 
Tô carpinando e tá crescendo 
Tô carpinando e tá crescendo

Preto velho pode ser preto

O preto por ser preto 
Não merece ingratidão 
O preto fica branco 
Na outra encarnação 
No tempo da escravidão 
Como o senhor me batia 
Eu chamava por Nossa Senhora, Meu Deus! 
Como as pancadas doíam

O preto por ser preto 
Não merece ingratidão 
O preto fica branco 
Na outra encarnação 
No tempo da escravidão 
Como o senhor me batia 
Eu chamava por Nossa Senhora, Meu Deus! 
Como as pancadas doíam

 

Cosme e Damião (sua casa cheira)

Cosme e Damião
a sua casa cheira
Cheira a cravo, cheira a rosa
e a botão de laranjeira
Cheira a cravo, cheira a rosa
e a botão de laranjeira

Cosme e Damião
a sua casa cheira
Cheira a cravo, cheira a rosa
e a botão de laranjeira
Cheira a cravo, cheira a rosa
e a botão de laranjeira

Cosme e Damião Cade Doun

Cosme e Damião, 
Damião cadê Doun ?
Doun foi passear lá no cavalo de Ogum
Cosme e Damião, 
Damião cadê Doun ?
Doun foi passear lá no cavalo de Ogum
Dois dois sereias do mar
Dois dois mamãe Iemanjá
Dois dois sereias do mar
Dois dois mamãe Iemanjá

Cosme e Damião, 
Damião cadê Doun ?
Doun foi passear lá no cavalo de Ogum
Cosme e Damião, 
Damião cadê Doun ?
Doun foi passear lá no cavalo de Ogum
Dois dois sereias do mar
Dois dois mamãe Iemanjá
Dois dois sereias do mar
Dois dois mamãe Iemanjá

Xangô

Pedra rolou pra Xangô 
Lá nas pedreiras 
Afirma o ponto meu pai 
Na cachoeira 
Pedra rolou pra Xangô 
Lá nas pedreiras 
Afirma o ponto meu pai 
Na cachoeira 
Tenho meu corpo fechado 
Xangô é meu protetor 
Afirma o ponto meu pai 
Pai de cabeça é Xangô 
Tenho meu corpo fechado 
Xangô é meu protetor 
Afirma o ponto meu pai 
Pai de cabeça chegou

Xangô Kaô

O Gino olha sua banda 
O Gino olha o seu conga 
a onde o rochinol cantava 
a onde Xangô morava 
ele é filho da cobra coral 
ele é filho da cobra coral 
ele é filho da cobra coral 
Kâo

Deu Meia-noite

Deu meia-noite:
A lua se escondeu.
Lá na encruzilhada,
Dando a sua gargalhada
Tranca-Rua apareceu.
É laroiê! É laroiê! É laroiê!
É mojubá! É mojubá! É mojubá.
Ele é odara e quem tem fé nesse exu
É so pedir que ele dá.

Dói, dói, dói, dói, dói (Pomba-Giras)

Dói, dói, dói, dói, dói
Um amor faz sofrer, dois amor faz chorar (bis)

No tempo em que ela tinha dinheiro
Os homens queriam lhe amar,
Mais hoje o dinheiro acabou, a velhice chegou e ela se põe a chorar (dói, dói, dói...)

Dói, dói, dói, dói, dói
Um amor faz sofrer, dois amor faz chorar (bis)

Te dei amor
Te dei carinho
Te dei uma rosa
Tirei os espinhos (bis)

Dói, dói, dói, dói, dói
Um amor faz sofrer, dois amor faz chorar (bis)

Encruzilhada

Venho saudar a encruzilhada,
Lugar sagrado, (BIS)
Onde Exu fez sua morada.

Encruzilhada é cruzamento de caminhos,
Venho pedir proteção para os seus filhos,

Venho dar boa noite,
Boa noite à Lua, (BIS)
Venho dar boa noite ao Mestre Tranca-Rua.

Venho saudar a encruzilhada,
Lugar sagrado, (BIS)
Onde Exu fez sua morada

Trago marafo, charuto e padê,
Peço a Exu que venha nos valer.

Pra Dona Padilha trago uma rosa,
Por que ela é muito formosa. (BIS)

Exu Veludo (chamada)

Ninguém pode comigo
Eu posso com tudo
Na encruzilhada 
Ele é Exu Veludo

Exu Veludo

EXU VELUDO

Auê Exu
Ninguem pode comigo
Eu posso com tudo
La na encruzilhada éle
É exú seu Veludo,

Ninguem pode comigo
Eu posso com tudo
La na encruzilhada éle
É exú seu Veludo

Exú veludo é um exu mui lindo (bis)
Na boca e em qualquer lugar!

Exu veludo bebe seu marafo
Exu veludo sabe o que faz

Qua, qua, quá
Exu veludo esta na banda
Deixa ele curiá

Maria PAdilha ( de onde ela vem)

De onde é que Maria Padilha vem?
Aonde é que Maria Padilha Mora?
Ela mora na mina de ouro
Onde o galo preto canta
Onde criança não chora

Quando eu toco tambor
Eu só toco pra ela
Seu olhar é sereno
Seu olhar me fascina.
Ela vem girando na linha das almas
É a Maria Padilha!

De onde é que Maria Padilha vem?
Aonde é que Maria Padilha Mora?
Ela mora na mina de ouro
Onde o galo preto canta
Onde criança não chora

Quando eu toco tambor
Eu só toco pra ela
Seu olhar é sereno
Seu olhar me fascina.
Ela vem girando na linha das almas
É a Maria Padilha!

Maria padilha das Almas

Exu Maria Padilha trabalha
Na encruzilhada
Toma conta, presta conta
Ao romper da madrugada
Pomba gira, minha comadre,
Me proteja noite e dia
Trabalhando na encruzilhada
Com suas feitiçarias
Exu Maria Padilha

Exu Maria Padilha trabalha
Na encruzilhada
Toma conta, presta conta
Ao romper da madrugada
Pomba gira, minha comadre,
Me proteja noite e dia
Trabalhando na encruzilhada
Com suas feitiçarias
Exu Maria Padilha

Maria padilha

Moça me dá um cigarro do seu
Prá fumar
Que nem dinheiro
Eu tenho prá comprar(bis)
Vivo sozinho,
Vivo na solidão,
Maria Padilha
Me dê a sua proteção (bis)
ô moça, ô moça
ô moça me tira dessa poça
ô moça, ô moça
ô moça me dê a sua força

Pomba Gira Cigana

Vinha caminhando a pé,
Para ver se encontrava
A minha cigana de fé.
Eu vinha!
Vinha caminhando a pé,
Para ver se encontrava
A minha cigana de fé.

Parou e leu minha mão. (Exu!)
Me disse a pura verdade.
Eu só queria saber
Aonde mora Pomba Gira Cigana.
Eu só queria saber
Aonde mora Pomba Gira Cigana.

Pombagira Sete Maridos

Pombagira é mulher de Sete Maridos!
Pombagira é mulher de Sete Maridos,
Mas não mexa com ela!
Pombagira é um perigo!

Ela é Pombagira, a Rainha da Encruzilhada,
Que enfrenta seus inimigos
Com uma forte gargalhada. (2x)

Vermelho e Negro

De vermelho e preto,
Ao cair da noite,
O mistério traz
De colar de cor,
Vestido dourado
A promessa faz.
Se é preciso ir,
Você pode ir,
Peça o que quiser,
Mas cuidado, amigo,
Ela é bonita, ela é mulher.

De vermelho e preto,
Ao cair da noite,
O mistério traz
De colar de cor,
Vestido dourado
A promessa faz.
Se é preciso ir,
Você pode ir,
Peça o que quiser,
Mas cuidado, amigo,
Ela é bonita, ela é mulher.

E no canto da rua, girando,
Girando, girando está;
Ela é moça bonita,
Oi! girando, girando, girando lá.
Oi, girando, laroyê!
Oi, girando, laroyá!
Oi, girando, laroyê!
Oi, girando, lá!

Rosa branca, rosa vermelha,
Rosa amarela, a cigana é faladeira
E todo mundo gosta dela!
Rosa branca, rosa vermelha,
Rosa amarela, a cigana é faladeira
E todo mundo gosta dela!

Laroyê!

Zé Pilintra Oi Zé

Oi, Zé quando for pra lagoa
Toma cuidado, oi Zé com o balanço da canoa
Oi, Zé faça o que quiser
Só não maltrate o coração desta mulher
Oi, Zé faça o que quiser
Só não maltrate o coração desta mulher

Oi, Zé quando for pra lagoa
Toma cuidado, oi Zé com o balanço da canoa
Oi, Zé faça o que quiser
Só não maltrate o coração desta mulher
Oi, Zé faça o que quiser
Só não maltrate o coração desta mulher

Sou Exu

Sou exu, trabalho no canto
Quando canto desmancho quebranto
Sete cordas tem minha viola
Vou na gira de lenço e cartola
Viola é o tridente
Cigarro é o charuto
Bebida é o marafo
Sou Sete da Lira
Derrubo inimigo
Ponteiro de aço

Tata Caveira

Soltaram uma bode preto
Meia noite na calunga,
Ele correu os quatro canto,
Foi parar lá na porteira.
Bebeu marafo com Tata Caveira.

Seu Tiriri Chegou

Galo cantou,
Seu tiriri chegou. (bis)

É meia-noite,
Ele chegou da calunga,
É exu trabalhador, (bis)
Ele vence demanda,
Ele salva,
Ele cura.

Seu tiriri,
Não é de brincadeira. (bis)

Quando ele chega,
Sua capa levanta poeira. (bis)

Leva a tristeza,
Leva a maldade, (bis)
Corta a inveja,
E traz a felicidade







    Defumação
 

 
Cheirou guiné, defuma assistência
assistência de fé
defuma jurema!
 
nossa senhora incensou o seu altar
para todos seus filhos cheirar
oi dá licença para incensar o seu altar
pro mal sair e a felicidade entrar
———-
 
Nossa Senhora incensou o seu altar
Ô incensou para Oxalá
Peço licença a aldeia e aos caboclos
Pro mal sair e o bem entrar
 
Arruda e Alecrim a Umbanda cheirou
Cheirou…Cheirou…
Cheirou a nossa Umbanda
———–
 
Defuma defuma
E vamos defumar
Levando esses males
Pras ondas do mar
———-
 
Defuma defumador
A casa é de Ogodô
Seu nome é Pai Xangô
Oi defuma defumador
———-
 
Meu Pai Oxósse, dai-me licença pra defumar
Eu defumo, eu defumo essa aldeia real.
Meu Pai Ogum, dai-me licença pra defumar
Eu defumo, eu defumo essa aldeia real.
Mamãe Oxum, dai-me licença pra defumar
Eu defumo, eu defumo essa aldeia real…
———–
 
Oi, essa casa cheira
Oi, essa casa cheira
Está cheirando rosas
e botões de laranjeira
Oi, essa casa cheira
Oi, ela vai cheirar
Com a benção divina
De meu Pai Oxalá
———-
 
ele e resador
ele vai defumar
ele resa seus filhos e mal vai levar
defuma defuma ele vai defumar
ele resa seu filhos e o mau vai levar
———-
 
Sobe fumaça
Desmancha no ar
Ôh, leva a quizumba
E todo o azar
———-
 
Defuma com as ervas da Jurema
Defuma com arruda e guiné
Defuma com as ervas da Jurema
Defuma com arruda e guiné
 
Benjoim, alecrim e alfazema
Vamos defumar, filhos de fé
Benjoim, alecrim e alfazema
Vamos defumar filhos de fé
-------------
Jurema deu as ervas
ai Ogum deu beijoim
Pai Oxalá mandou
Defumar você, eu vim
Esta fumaça santa
Ela vai lhe proteger
De tudo que for mal
Que alguém possa lhe fazer
—–
Defuma a coroa de le,
A coroa de le,
Meu mano e de marajó,
Ai,ai,ai,
Meu mano e de marajó,
Defuma a coroa de le.
—————————-
Oi na Manguera, Manguera, Manguera
Oi Ganga Oi lá nas matas tem Mironga
Folha por folha Oi ganga
Oi lá nas matas tem mironga
———-
Vamos defumar / Vamos defumar
Defuma Filhos de Fé com licança de Oxalá
Vamos defumar / Vamos defumar
Defuma Casa de Fé com licença de Oxalá.
———-
 
Quando eu abro a gira a Umbanda vai defumar
Quando eu abro a gira a Umbanda vai defumar
 
É na fé de Pai Oxalá que a Umbanda vai defumar
É na fé de Pai Oxalá que a Umbanda vai defumar
 
É na Fé de Pai Ogum que a Umbanda vai defumar
É na Fé de Pai Ogum que a Umbanda vai defumar
———-
 
Defuma com as ervas da jurema
Defuma com arruda e guiné
 
Defuma com as ervas da jurema
Defuma com arruda e guiné
 
Com benjoim alecrim e alfazema
Vamos defumar filhos de fé
———–
 
A Umbanda queimou, cheirou guiné
Vamos defumar filhos de fé
A Umbanda queimou, cheirou guiné
Vamos defumar filhos de fé
Defuma eu Babá
Defuma eu Babalaô
Defuma eu Babá
Defuma eu Babalaô



Total de visitas: 21796